Você pode gastar milhares no desenvolvimento de sites. Você pode ter os produtos mais bonitos, mas ainda não está fazendo vendas online. E você pode culpar tudo no mundo pela queda nas vendas.

Mas a realidade é sombria. O motivo pelo qual você não está vendendo é você. Sim, é você. E é porque você dificultou demais para o seu cliente.

Como um designer de site aposentado da Agencia online de divulgacao, eu já vi de tudo antes. Conheci empresários que não sabem o que seus clientes querem online, nem o que precisam para converter visitantes interessados ​​em clientes pagantes. Eu briguei com meus clientes sobre esse ponto. Tentei convencê-los do contrário. Mas muitos presumem que sabem melhor, apesar de suas vendas em declínio.

O cliente online é inconstante e fácil de agradar. Fickle no sentido de que têm grande expectativa. Ainda assim, é fácil de agradar porque não é preciso muito para acertar. Então, por que as empresas continuam errando?

O cerne da questão está no básico. Os elementos simples geralmente esquecidos e ignorados para soluções mais complexas. Antes de começar a revisar todo o seu design, certifique-se de não cometer esses erros.

Dificuldades para concluir o processo de check-out

Você já andou por uma loja de departamentos segurando um jeans que gostaria de comprar? Sua busca por um balcão operado por um membro da equipe é inútil. Você não consegue encontrar ninguém a quem entregar seu dinheiro. Você conhece a frustração. Você conhece a sensação de querer jogar a calça jeans no chão e sair marchando. Aconteceu com todo mundo.

Com a mesma experiência online, o cliente fica menos disposto a esperar. Se eles não souberem como fazer o check-out em questão de segundos, eles deixarão o site. Aqui estão as áreas de uma loja de comércio eletrônico que precisam ser fáceis de navegar:

Acesso ao carrinho – Alguns sites posicionam o ícone do carrinho em locais obscuros. Lugares como o rodapé ou um pop-up não são convenientes nem convencionais para a maioria dos sites. O ícone do carrinho também é fundamental, mas também há mérito em usar a palavra “carrinho”.

Opções de pagamento – com o aumento dos pagamentos de estilo layby, como Afterpay e ZipPay, os clientes têm mais opções de pagamento online do que nunca. Eles recebem flexibilidade de pagamento, sem limitação apenas para cartão de crédito. Quanto mais opções eles tiverem de pagar, incluindo plataformas como o PayPal, maior será a probabilidade de o cliente prosseguir.

Gateway de pagamento quebrado – Seja em seu back-end ou em suas vias de pagamento, algo está interrompendo o processamento de pagamentos. O teste do local é fundamental. Isso inclui manutenção regular e monitoramento contínuo de problemas com seus provedores de gateway.

Agencia online de divulgacao

Confusão sobre clique e receba com entrega

Você já fez compras online para descobrir que seu item favorito só está disponível por meio de clicar e coletar? Ou que não está disponível online e apenas na loja? Como cliente, sinto imediatamente uma raiva crescente. Por que você colocou o produto online, entre seus outros itens que posso comprar online, e me restringiu de comprá-lo?

Nós entendemos por que as empresas fazem isso. Alguma oportunidade de colocar o produto na frente do cliente, certo? Mas isso acarreta um risco significativo. Adicionar dificuldade ao processo de compra não incentiva a lealdade do comprador. Existem muito mais opções para a mesma opção disponíveis em outros varejistas. Se sua alternativa for inconveniente, seu cliente fará compras em outro lugar.

Aqui estão as partes do seu site que precisam refletir os dois lados da experiência de compra:

Entrega como uma prioridade— Para a maioria de seus produtos listados online, priorize o envio online. Trata-se mais de permanecer competitivo do que qualquer outra coisa. Se o seu cliente acessar o frete por outras vias, eles o usarão.

Separar clique e coletar – vale a pena experimentar uma seção separada apenas para clicar e coletar itens. Uma guia diferente ou uma divisão inteira do site pode beneficiar você e seu cliente.

Seja transparente – não esconda o fato de que seus itens são apenas clicáveis ​​e coletados. Ou não divulgue o problema apenas quando os clientes chegarem ao carrinho. Promova este item com o recurso clicar e coletar como uma distinção óbvia. Quanto mais o cliente sabe antecipadamente, menos frustração ocorre.

Desculpas de entrega e execução

Problemas de entrega não são aceitáveis ​​para lojas de comércio eletrônico. É o fundamental do que você oferece, especialmente se você não tem a certeza de uma presença na loja. É por isso que as pessoas têm que vir até você, então você tem que acertar se quiser sobreviver.

Embora sua entrega não seja específica para o design do site, é fundamental para o sucesso de sua loja de comércio eletrônico. Os dois estão intrinsecamente ligados. E com um não funcionando como deveria, o outro é virtualmente inútil.

Mas como você gerencia o serviço postal? Você não trabalha para eles, você é um cliente como todo mundo. E embora isso seja correto, seu cliente não aceitará o jogo da culpa. Eles não fizeram uma compra contratual com a empresa de entrega. Eles conseguiram com você, e é sua responsabilidade cumprir o contrato.

Aqui estão os elementos do processo de entrega que você pode controlar:

Sua escolha de empresa de entrega – se sua empresa de entrega for lenta, livre-se deles. Se sua empresa de entrega está tendo problemas, isso reflete mal no negócio. Raramente um cliente se lembra do serviço de entrega que causou o atraso. Eles só se lembram do negócio de onde compraram.

Suas desculpas – Seu cliente não se importa se seu serviço de entrega o decepcionou. Isso não é culpa deles. Ao escolher essa empresa de entrega, você assume a responsabilidade de como eles fazem seu trabalho. Guarde suas desculpas e corrija o problema. E não passe as desculpas para o seu cliente. Em vez disso, passe soluções.

The Packing Time – Empacote e processe suas vendas o mais rápido possível. Quanto mais rápido eles entrarem no sistema de entrega, mais rápido ele chegará ao cliente.

Comunicação – Com os seus tempos de entrega, prometemos menos e mais do que isso. Se você sabe que seus produtos demoram três dias para chegar, prometa uma entrega em cinco dias. Você se protegerá contra imprevisíveis e manterá seu cliente feliz. Todas as suas opções de entrega e prazos precisam de detalhamento em seu site.

Determinando seu preço fora do mercado

Muito raramente inventamos um produto totalmente único ou sem mercado competitivo.

Talvez você precise ler isso de novo, para entender.

Muito raramente inventamos ou desenvolvemos um produto que seja independente ou permita que você tenha um preço diferente do de sua concorrência. Nem todos podemos ser Apple com nosso sistema operacional exclusivo. Mesmo assim, até a Apple precisa pensar em outras marcas que rivalizam com seus produtos. Eles não podem ultrapassar o preço de si próprios, cobrar milhares a mais, porque as pessoas não comprarão deles.

Os clientes usam o espaço online para combinar preços. Com o recurso de compras do Google, é fácil combinar o preço antes mesmo de acessar o site de uma marca. Mais do que nunca, é um grande erro ignorar as formas como outras empresas estão cobrando. Especialmente se o que você vende não é exclusivo para você.

Negligência para a descrição fundamental do produto

Uma imagem fala mais que mil palavras. Mas não faz mil vendas online. Na verdade, pode custar uma venda.

Seu cliente não é um leitor de mentes. Eles não sabem o que você sabe sobre o produto, nem querem adivinhar. Eles confiam nas descrições e especificações do seu produto para orientá-los. O cliente deve ser capaz de determinar qual pacote está chegando e qual será a aparência do produto antes de comprar.

As descrições também protegem você de reclamações e pedidos de reembolso. Um cliente não pode reclamar que o produto é “muito pequeno” se você delinear as medidas claramente. A responsabilidade agora recai sobre o cliente.

Agencia online de divulgacao

Sempre responda ao seguinte nas descrições de seus produtos:

O produto ‘o quê’ – faça de conta que seu cliente não consegue ver a imagem do produto. Descreva como o produto, parece, sente, cheira (se necessário) e o design. Você pode querer fazer referência a formas no design ou épocas que influenciaram o estilo.

Opções de tamanho – o que está disponível em cada tamanho e a variedade que você carrega. Embora o fabricante ofereça os tamanhos 6 a 14 no vestido, você estoca apenas de 8 a 12.

Seus gráficos de dimensionamento – O que significa “pequeno, médio, grande” para sua oferta? Seja específico. Adicione centímetros, polegadas, medidas reais que significam algo para as pessoas.

Dimensões (A x L x C) – Especialmente para móveis, eletrônicos, equipamentos esportivos e similares. Imagens que refletem o que você entende por altura, largura e comprimento também dissipam qualquer confusão.

Tamanho da embalagem – O tamanho da embalagem e da caixa do produto conforme ele chega. Isso é especialmente verdadeiro para clicar e coletar itens. A caixa caberá no carro ou eles precisam alugar uma van? O quanto seu cliente ficará irritado quando chegar sem saber disso?

Cores – acredite ou não, preto, por exemplo, não é o mesmo para todos. E o preto não parece o mesmo em todas as luzes. Descreva a cor e adicione dicas de iluminação para ajudar a distinguir. Considere a maneira como as imagens retratam as variações de cores e como a iluminação afeta o matiz.

Materiais – de que é feito o produto? Pense nisso do ponto de vista de alguém com alergia. Eles podem usar este produto? Você enfrentará uma ação legal se o produto contiver materiais não divulgados ou ingredientes?

O que não está incluído – se o seu produto não vier com baterias, por exemplo, descreva isso. Avise o cliente para que ele não fique surpreso ou descontente quando o produto chegar.

Onde – a localização do produto e para onde ele é enviado. Não o esconda em subpáginas para seu cliente procurar. Porque uma vez que clicam fora do produto, é improvável que voltem. A localização ajuda a determinar quaisquer atrasos prováveis.

Quem – Endereço para quem o produto se destina. A imagem de uma camiseta ou o título “camiseta” não define para quem é. É do tamanho de uma criança? É tamanho extra? É um pequeno ajuste masculino? Aborde quem é o comprador.

A culpa é do seu designer de site?

O que você pode perceber por meio desses pontos-chave que identifiquei tem pouco a ver com aspectos técnicos do design do site. Tem tudo a ver com seus fundamentos de marketing e modelo de negócios. É por isso que o designer do seu site não mencionou isso para você. Não é necessariamente o departamento deles.

Durante meu tempo como designer de sites, não era minha função questionar os preços ou as descrições de um produto. Especialmente se fosse por um produto com o qual eu não tinha me envolvido antes ou sobre o qual não sabia nada. Mencionei um problema uma vez a um cliente e recebi a bronca de minha vida. Quem sou eu para questionar os especialistas? Essa experiência foi o suficiente para me silenciar.

Muitos outros designers sentem o mesmo. Eles nem sempre identificam as lacunas porque não presumem que sejam lacunas. Eles podem pensar que está faltando intencionalmente. Eles podem pensar que faz parte da sua estratégia de marketing.

É fácil corrigir os problemas da sua loja de comércio eletrônico. Não requer uma revisão do design, nem um retrabalho de sua oferta. Mas ignorar o básico não resolverá seus problemas de vendas.

Isso eu posso garantir.