A relação homem-rua

Covid-19 virou a maneira como as pessoas usam suas cidades de cabeça para baixo. No Reino Unido, por um período de tempo, caminhar pelas ruas exigia uma razão. Não há dúvida, então, de que vivemos um tempo que viu algumas das leis mais rigorosas sobre liberdade pública nos tempos modernos.

Isso influenciou drasticamente o relacionamento que as pessoas têm agora com a Empresa dezjato desentupidora. Com o monitor Shopertrak do British Retail Consortium relatando uma queda de 84,7% no número de lojas no mês de abril, nossas ruas quase nunca foram mais desertas.

No entanto, quando o Reino Unido começa a se recuperar da neblina das últimas 15 semanas, os planejadores urbanos tiveram a oportunidade de fazer mudanças drásticas não parecerem tão drásticas?

Mudança: não é fácil …

Notoriamente, a frase “permissão de planejamento” (com ou sem razão) envia arrepios por qualquer pessoa que lide com o tecido urbano de nossas vilas e cidades. Laborioso, enfadonho e desatualizado são palavras frequentemente associadas ao sistema de planejamento do Reino Unido e, embora provavelmente não sejam representações totalmente precisas, eu também não chamaria o sistema de “Progressivo”.

As ruas, então, se tornaram alguns dos materiais urbanos menos flexíveis da cidade, mas agora é nossa chance de mudar isso com a Empresa dezjato desentupidora sp.

Enquanto casas podem ser demolidas e desenvolvidas e árvores podem ser plantadas e colocadas, a rua é um tipo diferente de animal. Essas são as artérias que tecem nossa mistura arquitetônica – e, muitas vezes, em áreas construídas, elas não podem ser movidas, ampliadas ou demolidas. As ruas, então, tornaram-se alguns dos materiais urbanos menos flexíveis da cidade. Mas agora é a nossa chance de mudar isso.

‘Urbanismo tático’: pequenas mudanças, grandes diferenças

Portanto, como os cancitizens fazem diferenças ativas nas comunidades e bairros em que vivem e especificamente nas ruas que os unem?

O fechamento das grandes áreas internas criou uma perspectiva forçada: uma que direcionou nossa atenção para o exterior. Mas – quanto do ar livre em nossas cidades podemos realmente chamar de “ótimo”?

Empresa dezjato desentupidora de esgoto

Um santuário para o carro, as cidades conspiram silenciosamente contra o pedestre e agora, devido ao Covid-19, sua cobertura foi destruída. Conforme discutido, ‘cidades’ quase se tornaram o antônimo de ‘mudança urbana radical’. A resposta, então, poderia ser o “urbanismo tático”, conforme definido por Lydon e Garcia em seu livro de 2015 “Urbanismo tático: ação de curto prazo para mudanças de longo prazo”:

“O urbanismo tático é uma abordagem para a construção e ativação de bairros, usando intervenções e políticas de curto prazo, baixo custo e escalabilidade.”

O urbanismo tático é mais profundo do que a arte de rua e a decoração criativa das ruas: cria mudanças duradouras que abordam políticas locais deficientes ou enfrentam questões urbanas significativas, como congestionamentos ou o efeito Urban Heat Island, ao mesmo tempo em que são fáceis de serem adotadas pela Empresa dezjato desentupidora de esgoto.

O Covid-19 abriu as portas para esse tipo de mudança urbana para re-imaginar a rua. Soluções emblemáticas da cidade, como os ‘Superblocos’ de Barcelona (onde um setor diferente da cidade é para pedestres em rotação) e ‘Domingos Ciclistas’ da Cidade do México (onde 55 km de ruas entre as 8:00 e as 14:00 são dedicadas a ciclistas e pedestres) são frequentemente o centro das atenções quando se trata de mudar os ciclos urbanos de nossas cidades. No entanto, o urbanismo tático promove mudanças permanentes por meio de desenvolvimentos menores que se tornam parte do novo tecido da cidade: as respostas são colocadas nas ruas em vez de serem uma reflexão tardia do planejamento da criatividade.

Como recriamos a rua?

Há uma oportunidade, nas costas da crise de Covid-19, de que as ruas sejam melhoradas e reimaginadas pelos cidadãos e pela Empresa dezjato desentupidora 24 horas. A seção a seguir descreve apenas algumas mudanças táticas e radicais que podem ser traduzidas para as ruas da cidade em todo o mundo. Alguns dos exemplos representam grandes mudanças estruturais, enquanto outros são pequenas mudanças que apenas alguns vizinhos podem concluir. No entanto, nem todos esses exemplos são recentes, sejam eles grandes ou pequenos, agora é a hora de idéias e conceitos como esses se infiltrarem nas ruas de todos os dias.

  1. Crie moradias que não viajem espaços

Com o risco de espalhar o Covid-19 muito menor em espaços ao ar livre em comparação com espaços internos, as pessoas precisam de nossas ruas mais do que nunca – não apenas para viajar, mas para se encontrar com entes queridos, amigos e colegas de trabalho com segurança. Por sua vez, nossas ruas precisam ser adaptadas para melhorar a capacidade de caminhar e aumentar o tempo de permanência.

O urbanismo tático é talvez uma das maneiras mais comuns de resolver esse problema pelos governos das cidades ao redor do mundo. Quer eles tenham entendido suas ações como urbanismo tático ou não, os planejadores da cidade vêm fazendo pequenas mudanças táticas em nossas ruas, as quais tiveram um enorme impacto na maneira como usamos nossas ruas.

A Meristem Design usou a Empresa dezjato desentupimento em mais de 30 locais para ajudar a reequilibrar o comércio de pedestres nas ruas movimentadas de Londres.

Em Cardiff, o conselho decidiu ampliar o caminho em uma das estradas mais movimentadas da capital para permitir o distanciamento social. Além disso, o conselho anunciou que procurará usar as ruas como espaço adicional flexível para as empresas locais.

Empresa dezjato desentupidora 24 horas

  1. Compartilhando a rua

A compreensão de como alocar a rua para usuários concorrentes está na vanguarda do planejamento urbano na última década. Com um influxo de pedestres, ciclistas e corredores socialmente distantes, ao lado do tráfego de veículos (embora reduzido), as soluções para o problema da rua compartilhada tiveram que ser facilmente implementáveis ​​e adaptáveis.

O uso empolgante do EXPERI do mapeamento ARCGIS explica como Berlim criou ciclovias pop-up para lidar com a pandemia de coronavírus que substituiu diretamente as faixas dedicadas a veículos.

A Prefeitura de Amsterdã também está investigando ativamente a implementação de ruas de mão única e limites de velocidade mais baixos para ajudar a manter a cidade em movimento e garantir ruas equitativas.

Esta é, então, a questão principal: conselhos em todo o mundo estão indo além para manter a equidade para todos os usuários nas ruas durante o Covid-19 e, conforme discutido e promovido pela SUSTRANS no Reino Unido, esse ethos da rua equitativa deve ser uma prioridade o tempo todo – não apenas durante uma pandemia.

  1. Recuperando as ruas do carro

À medida que as cidades se tornam mais centradas em carros, é fácil permitir que isso se torne a nova norma. No entanto, esse desenvolvimento foi carinhosamente apelidado de “arrogante” por Mikael Colville-Andersen em seu livro de 2018 Copenhagenize:

“Quando descrevemos cidades, temos a tendência de fornecer traços de caráter humano. … Talvez, então, uma cidade possa ser arrogante. Arrogante, por exemplo, com sua distribuição de espaço. ”

E talvez arrogante seja a palavra certa. No entanto, o Covid-19 permitiu que as ruas fossem vistas através de uma nova lente – uma que não prioriza veículos. Os resultados desse novo entendimento das ruas na Dinamarca foram impressionantes com Gelh, notando um aumento acentuado no uso de brincadeiras e exercícios nas quatro principais cidades dinamarquesas analisadas em seu Relatório COVID 19 de Espaço Público e Vida Pública.

Existem muitas maneiras bem documentadas pelas quais a influência veicular em nossas ruas pode ser diminuída, mas elas não podem ir para o bem. Portanto, pedestres, ciclistas e moradores de rua de lazer (ou seja, todos) precisam usar esse momento sem precedentes de calma nas ruas para tomar mais posse da rua e mudar a maneira como entendemos o que e para quem as ruas são.

A rua: uma mudança cultural de perspectiva

É claro que o Covid-19 mudou totalmente a maneira como as pessoas vêem as ruas ao seu redor. Agora, encantadas com a possibilidade de aventura local e se manterem protegidas durante o Coronavírus, nossas ruas nunca foram tão impotentes para as pessoas que moram nelas.

Embora algumas das soluções e conceitos descritos acima sejam temporários, certamente está na hora de os pensadores urbanos começarem a tornar algumas dessas mudanças permanentes. Quando vistas como passagens para o carro, as ruas se tornam monótonas e sem imaginação. No entanto, quando combinadas com um senso de conectividade e significado, as ruas podem ser alguns dos lugares mais importantes em nossos bairros e é hora de começar a tratá-las dessa maneira.

É hora de uma mudança cultural na maneira como entendemos e usamos nossas ruas. Eles não devem mais permanecer apenas corredores de conectividade. O Covid-19 deu a oportunidade àqueles que se preocupam com suas ruas urbanas para promover grandes mudanças; criar um espaço compartilhado e adaptável que seja solidário não ao motorista ou ao pedestre, mas ao humano.